segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Fatos e lembranças.

   

             Há cinco anos, nesta data,  estávamos, meus filhos e eu, no hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo, passando por momentos de muita dor e com desfecho imprevisível, no dia Internacional da mulher, quando fará um ano da partida de meu esposo, após 30 dias de internação. De uma cirurgia de um nódulo no rim, que, segundo previsão dos especialistas, retirado o rim, em poucos dias estaria recuperado e poderíamos passar nossas férias na praia. Não se contava com as complicações pós cirúrgicas, infecção hospitalar, septicemia generalizada. Partiu sem saber que seriam seus últimos dias nessa vida efêmera.
Nesse período, as lembranças retornam com toda força. Só Deus para nos confortar e nossos filhos.
Transcrevo aqui, reeditando, a homenagem de minha filha, ao seu Pai ( in memóriam_
"Meu pai buscou a sapiência onde não a enxergava, buscou a sabedoria sem ser um letrado, buscou o amor em meio a tantas dificuldades.
Foi um pai que não apenas puxava o filho quando ele estava na borda do poço, quase alcançando a saída, em um estender de mão; mas mergulhava até o fundo, cavava mais se necessário fosse, mas nos tirava de lá, sem cobranças, porém com firmeza, pontuando sempre o valor da coragem, da honestidade, e a importância da espiritualidade.
É por isso, que nunca se importou com sapatos, roupas, eventos sociais; foi um rebelde na luta contra a hipocrisia e convenções sociais.
Buscou sempre a simplicidade e encontrou a maior das riquezas: o tesouro guardado nos céus.
Foi um privilégio ter sido sua filha."
Kathia M Manfredi Gasparovic.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Poema recebido.

 

              Desejo a você, menina Luiza...

Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender uma nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel...
E muito carinho meu.

                   Felice..... de Milão – Italia

Tristeza, por favor vá embora - carnaval e poesia.


     Noite,  céu encoberto
  sem lua nem estrelas
    caindo aquela chuvinha
       gostosa para dormir
          Semana quase acabando
             e eu aqui no Recanto ...
                 registrando  estes momentos....
                  e pensando na vida.....
                Cada dia é único
            Não volta mais ....
         Amanhã é outro dia...
     Vamos então vivê-lo
  Da melhor maneira possível
           Com novas energias ...
               novas alegrias ....
                   Tristezas?   deixemos...
                       Para os foliões carnavalescos
                           com a música dos carnavais
                                passados e que tanto sucesso fez:

                         *Tristeza, por favor vai embora .....*

         É feriadão de Carnaval
              Prefiro a calma e a tranquilidade
                  A paz, do que o agito
                      dessas festas.. 
                           que não são mais aquelas
                                 do passado.....

                                      (lumah)
                                   (luizammanfredi)
                                   23/02/2017


Sintonia da alma .

 

       Conduza-me alma em sintonia
       Com o que meus olhos apreciam
       Neste momento de paz e harmonia...

                 A visão que tenho do que vejo e sinto
                 Embriaga-me de pensamentos audaciosos
                 Que só no íntimo de meu ser  extasia....

                                   (luiza)
                                   (lumah, em Recanto das Letras.
                                   Publicado em 23/02/2017

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Um novo dia ....



                        Um novo dia, de uma nova semana. Com a volta do verdadeiro horário. Acabou o horário de verão, bom para umas coisas do nosso cotidiano, ruim para outras. Retorno de nosso relógio biológico agora, após três meses, com os dias mais longos e as noites mais curtas.
                     Brilho na janela é o sol que veio me acordar, cheio de luz amarelo ouro. Como se sorrisse, alegre, cheio de vida me trouxe um recado:  levante!  Seu  dia começou, outro presente de Deus, mais um milagre, vamos, levante. Um lindo dia para fazer tudo que se quer, ou simplesmente não fazer nada, apenas ser feliz. Vamos, o dia nos pertence a esperança está aqui e nossa fé nos conduzirá.  Uma semana  abençoada  à todos.   

                                                    Luiza
                                                    Cascavel, PR
                                                    Na formatura de meu neto Guilherme.
                                                    19/02/2017            
                   

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Depois dos cinquenta ....

 
Depois que passei dos cinquenta resolvi desaprender a viver. Decidi largar ao longo do caminho que me resta a tralha acumulada durante todos esses anos. Vou abandonando velhos hábitos, ensinamentos que me passaram quando andava desavisado, como juntar dinheiro, não falar com estranhos, evitar conflitos. A vida é curta para gasta-la com medos tolos e pessoas fúteis. Procuro gente cuja alma seja vista da esquina. Não preciso procurar muito, encontro este tipo até em fila de banco. Quero aprender a desacelerar, a vida não é a maratona que me disseram. Dá tempo para o cafezinho. Brigar pela janela por quê?.O corredor está ótimo e me dá fácil acesso ao toillete. Sento ali e vejo o mundo passar. Quero falar com estranhos, sim, eles me ensinam tantas coisas... Juntar dinheiro é inútil, quero juntar amigos, amores e sorrisos. Ser honesto até com os que não gostam de mim, quem sabe não se rendem? Ah, e viajar! Aprendo mais fácil quando viajo, quando converso com pessoas que têm a cabeça onde tenho os pés. Seriedade? Há hora e lugar. Na maior parte da vida quero é rir; no trabalho, na rua, no cemitério. Morrer é difícil, rindo deve descer mais fácil. Está na hora de desaprender muitas coisas. Às vezes dá medo de girar o carretel para trás, ler o livro começando pelo fim, mas não tem jeito. Quero desaprender o que o mundo fez de mim, não quero ser uma caricatura, uma obra falsificada. Não quero ser sucesso, basta-me ser autêntico. O tempo tem me ensinado a não ser uma expectativa, um jogo de cartas marcadas; razão porque quero desaprender a viver. Nesta banda que me resta, só quero aprender a ser eu.

Marcio Leite