sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Nostalgia

 
         

                Aproximam-se as  festas natalinas, os últimos dias do ano em curso. Nessa época, sentimentos nostálgicos dominam nosso ser. Talvez, recordações de algo do passado que nos marcou, uma sensação de melancolia nos invade. São reflexos de perdas que se teve na caminhada da vida e que ficam no subconsciente.

                              (lumah)
                           (luizammanfredi)

                          Publicado no Recanto das Letras
                          Dezembro de  2016

Viajantes ( Acróstico)

 

                 

        V iajantes somos todos da estrada do tempo
        I ndo ao encontro de cada trecho do caminho
        A lgumas vezes tropeçando e levantando
        J amais esmorecemos por mais duro que seja
        A ndamos sempre altivos e olhando para a frente
        N ada nos impede de seguir metas traçadas
        T endo Deus nos guiando em cada passo dado
        E nfrentando com coragem pedras que aparecem
        S omos caminhantes desde o nascimento !!

                       (lumah)
                  Publicado no Recanto das Letras
                  Dezembro de 2016


Reflexões de final de ano.



          Dias nublados, chuviscando,  tendendo a frio, nessa semana que antecede o Natal.  Nada impedindo que  as pessoas  organizem os quintais, passeios, pequenos consertos em suas casas, para que essa festa máxima da cristandade, seja receptiva a essa magna data.

            Pinheirinhos decorados, luzes enfeitando as casas, alimentos especiais sendo preparados, aguardando a chegada dos parentes que nessa época visitam seus familiares, num clima de festa e confraternização. É um período maravilhoso, lavando a alma das inquietudes do ano que está prestes a findar. Renovadas esperanças, vira-se a página e tudo recomeça.

             Clima político e econômico instável, desemprego e fome, Municípios apertando o cinto para deixar suas finanças em dia para o próximo Prefeito que assumirá em primeiro de janeiro, a população comprando o estritamente necessário, servidores públicos sem esperanças de receber seu décimo terceiro, que é o que alivia o bolso no final do ano, mas o espirito natalino não esmorece. Uma ceia por mais simples que seja, o amor em família e  para os católicos, a missa na noite de Natal, é motivo para comemorar o que é essencial,  o nascimento de Jesus.

            Crianças aguardando a tão sonhada visita do Papai Noel, este ano, com presentes conforme o poder aquisitivo de cada um, mas sem deixar de comemorar.

            Na contagem regressiva para o término do ano, deixar de lado a nostalgia que surge nesses dias e abrir as portas da alma para o positivismo , a ternura, o perdão, esquecer mágoas e incertezas, cultuar o amor.
                                   (lumah)
                                (luizammanfredi)
                               Publicado no Recanto das Letras
                               aos 22 de dezembro de 2016


Brique do amor

 

                *A campanha de agasalho era dentro de casa. Eu recebia as roupas do irmão mais velho e  o irmão mais novo recebia as minhas roupas. Não havia banho de loja. Fui do tempo que não havia shopping center.
   ...........................
     Os agasalhos duravam três gerações.  O conteúdo das gavetas mudava de dono e jamais ia fora.
      Acho que temos que recuperar, diante da atual crise financeira, o valor emocional dos objetos  ....*
     ..............  
                            (parte da belíssima crônica do Escritor gaúcho, Fabricio Carpinejar , publicada em 20/12/2016, no  Zero Hora, que merece destaque e que dá origem a outra crônica, nesse período de festas de final de ano.

                          ===================

          A crônica de Carpinejar, retrata os meus tempos de criança, éramos felizes com o que tínhamos, era realmente um brique do amor. Tudo passava de um irmão para outro. A economia, bem administrada por nossos pais, não deixava faltar a boa alimentação em casa, mas nada era gasto em supérfluos.  Nossa educação, era em Escolas particulares. Onde morávamos não  existia gratuitas. O Ensino e a educação priorizavam a boa formação e a cultura. Família e escola andavam juntas. Mas, havia o amor, o respeito, um pouco de temor aos castigos. Mas, não havia a insegurança de hoje, onde tudo é facilitado, leis constrangem e são mal interpretadas causando pessoas mal preparadas para a vida.
              As festas de Natal deixaram saudades.   Na noite de Natal, nosso Pai, durante a madrugada, espalhava balas e docinhos pela casa. Quando amanhecia o dia, corríamos felizes, cada um procurando juntar mais balinhas que o outro ( éramos dez irmãos).  Éramos felizes com o que tínhamos.  Na noite de Natal, a famosa Missa do Galo, à meia noite, com apresentação de coral e o belíssimo pinheirinho com o presépio, muitas vezes, o presépio vivo  organizado pelas famílias . Na saída da missa, os cumprimentos entre os participantes.  Desde cedo aprendíamos a praticar a solidariedade, a educação e o respeito.   A confraternização natalina era feita em casa, com preparativos simples, feitos pela mãe, com nosso auxílio. Priorizava-se a data: comemorar o nascimento de Cristo, em primeiro lugar a Igreja, depois as confraternizações.
             Não havia televisão, celular, que hoje roubam os momentos de dialogo entre os familiares.
        Hoje, o consumismo, a propaganda das lojas nos meios de comunicação, levam a preocupação às famílias que não dispõe de condições financeiras em presentear seus filhos, com brinquedos caros. As crianças se frustam em ver seus colegas receberem do Papai Noel, sonhos que eles não podem ter.  E faltam os presentes.  Motivo de frustrações entre as crianças e tristeza para os Pais.
       Atualmente, com a crise econômica porque passam Municípios, Estados e País , até as confraternizações públicas promovidas pela Assistência social, estão se restringindo a apresentações culturais, sem mais a entrega dos pacotinhos de Natal, que há uns anos eram feitos.
       Com o desemprego deste final de ano, roubos, crimes e violência estão aumentando. Não é mais aquele clima natalino de outrora, onde a paz e a segurança permitia a visita aos parques, praças, passeios à noite pelas ruas.  Vivemos um período de muita precaução e as famílias procuram passar essas festas em casa.
        É tempo de retornar ao *brique do amor.., como escreveu Carpinejar em sua brilhante crônica.

                                  (lumah)
         

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Passagem de ano.


   Alguns dizem que mudança de ano não tem nada haver, nem há o que se comemorar tudo continuará do mesmo jeito. Realmente, a mudança de ano é apenas o inicio de um novo ciclo da terra em torno do sol, mas, é importante, pensar que a mudança não acontece fora de nós e sim dentro de cada um. Final de ano é propicio para reflexão. É tempo de fazermos um inventario de nós mesmos. Agradecer as coisas boas que ocorreram no decorrer do ano, descartar as coisas ruins que ainda carregamos dentro de nós e também, é um momento oportuno para traçarmos metas para o ano que se inicia. Partindo deste principio, mudança de ano não é apenas um novo ciclo no sistema solar, mas também, um novo ciclo que deve iniciar na vida de cada um de nós.

                       DA

domingo, 11 de dezembro de 2016

Passagens da vida ....

 Como não lembrar desse dia?
 Hoje, comemoramos Nª Sra. da Conceição.
 Recordo, triste, nove meses passados,
 a prematura passagem de meu companheiro
de jornada, pai de meus filhos ...
Num exame rotineiro, feito há um ano, nesta data,
apareceu um pequeno nódulo num rim.
Deixamos de viajar, ir à praia
para a retirada do mesmo, em janeiro
que após consulta a segundo especialista,
decidimos fazer a retirada do rim ...
cuja cirurgia realizou-se em dez de fevereiro.
Complicações pós cirúrgicas ....
um mês no hospital, rodeado por mim e filhos
Em 8 de março, dia internacional da mulher
Nos deixou, acabou o sofrimento,
sem água, sem comer, só alimentação pela veia
Você viajou para outras praias,
onde não há dor nem sofrimento
pela vida sofrida e luta que enfrentou.
Seu destino por Deus já estava traçado.
Para nós, um verão quente, de muita dor
ao sentirmos que estavas partindo
sem saber que sua hora havia chegado
nossa caminhada juntos, interrompida
após anos de lutas e labutas...
Agora, aposentados, viveríamos na praia
uma vida calma e tranquila ...
cuidando da nossa saúde,
recebendo a visita dos filhos e netos
mas, o destino tudo muda ...
Nossa caminhada foi longa...
mas pareceu-me tão curta...
Que Deus o recompense agora

Com um caminho de paz e muita luz!!


     Editado e publicado no Recanto das Letras
     em 08/12/2013
                 luizammanfredi


quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Chuva que cai, paz e aconchego....

 

      A chuva cai de mansinho
      olhando a grama do jardim
      flores lilás nasceram cativas
      próprias do período natalino
      Vejo o verde das árvores...
      e os pássaros abrigados nelas
      água lavando a natureza
      da poeira e impurezas
      chuva abençoada ....
      despertando desejos mil
      de estar junto a ti ....
      no aconchego de um cantinho
      observando tudo, da janela
      ou amando, no nosso ninho...

                 (lumah)
              (luizammanfredi)

            Publicada no Recanto das Letras
            08/12/2016
               
                                  imagem captada na web

Resultado de imagem para chuva que cai de mansinho

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

O anoitecer e seus encantos...


       O sol se esconde no horizonte
       Devagarinho a noite vem chegando
       e mais um dia que vai passando
       na contagem de nossas vidas
       Olho para o além, enternecida
       Agradecendo a Deus pela vida
       pela minha geração que me acalenta
       brincando no jardim. Oh! bela infância
       em cada gesto belo e inteligente
       nossa alma vibra de encantamento
       diante de seu olhar meigo ...a inocência
       surpreendendo-nos a cada momento.
       A nossa caminhada vai seguindo
       colhendo os frutos da jornada ...
       Que por Deus foi muito abençoada!
       Enquanto escrevia, o sol se escondeu
       e a noite vem de mansinho chegando...
     
                             (lumah)
                        (luizammanfredi)

                   Publicado no Recanto das Letras
                   Dezembro/2016

   

Doces tardes de domingo...

     Inesquecíveis tardes de domingo
     áureos tempos da adolescência
     amigos, grupos, quimeras, paixão...

     amores bucólicos, olhar à distância
     diferente de hoje, pura inocência 
     amava-se alguém que não  sabia....

     Tudo era diferente, muita emoção

      Primeiro beijo, silente tesão ....

                           (lumah)
                      (luizammanfredi)

                      Publicado no Recanto das Letras.