sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Conto real: funeral no casamento.

         Maria vestida de noiva. Eram os idos do ano de 1962. Mês de fevereiro, quente. Família toda reunida para o enlace matrimonial da primeira filha, de uma dezena. Todos os preparativos prontos, missa solene, confraternização. Chega a notícia de que um dos três tios paternos, falecera na cidade de Curitiba e chamava o Pai da noiva, para recebê-lo, para os funerais que seriam na cidade.  Estava adoentado, mas jovem nos seus 48 anos. Disse que viria para o casamento da sobrinha que adorava. E veio, em carro fúnebre.  Realizou-se o velório e o sepultamento, em clima de muita tristeza.  Na mesma igreja onde, três horas depois, aconteceu o casamento. Centenas de convidados, vindos de diversas regiões, não tinha mais como adiar a cerimônia. O pai da noiva teve ameaça de infarto, deu a volta por cima e conseguiu ser um anfitrião especial, mesmo com a alma partida.  Para Maria, a data ficou marcada, nunca mais comemorou festivamente a data. Esta é uma história real.


                                  ( lumah)  ( luizammanfredi)
          Editado e  publicado no Recanto das Letras
          aos 30/09/2016

          

Nenhum comentário: