quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Eterna Indagação.

ETERNA INDAGAÇÃO
Mistério eterno da vida
Donde eu vim? Para onde eu vou!?
Que força desconhecida para a amplidão me arrastou.
Sou andorinha perdida
Que velho ninho deixou
E aflita voa impelida
Por vento que Deus lançou
E subi rodopiando
Por este mundo rolando
Que no espaço Deus semeou
Ó senhor minha ânsia acalma
Dize-me, diz a minha alma
Donde eu vim?
Para onde eu vou?


                             ( índio Tamoio Prado )
                              imagem captada na web



Nenhum comentário: