quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

A tecnologia e a formação dos jovens...

       Houve tempos em que tudo era difícil. Sem conforto. Sem tecnologia. Sem luz, logo, sem energia,  sem água encanada, sem alimentos industrializados, sem TV, nem Internet. Mas havia mais união entre as famílias, mais diálogo, mais união, mais amor. Crianças criadas e educadas pelos pais, jovens preparados para a vida, profissionais bem sucedidos.
      Hoje, temos conforto, mas as famílias vivem distantes, o que se vê em salas de aula, nos corredores, em salas de espera,  são crianças e jovens, conectados em seus aparelhos eletrônicos, esquecidos do mundo que os rodeia.  Não leem mais, trabalhos de aula retirados da Internet, a culpa do insucesso nos estudos são os professores, as Escolas, o método de ensino, a falta de estrutura, etc.        Não sabemos que sociedade teremos, que tipo de pessoas estão se formando, que espécie de trabalhadores teremos, Preocupante, mas a realidade.
     Com a tecnologia, não temos mais um ser pensante, que busca, que cria, que transforma, que indaga, que dialoga mas sim, um ser que depende exclusivamente da máquina. O homem não se preparou para esse momento, especialmente para a informatização e as consequências deste despreparo com o tempo surgirá.
    No Brasil, tudo chega tarde: o avanço tecnológico deve acompanhar a evolução, mas aqui isso não acontece.

             Luiza Menin
             Porto Alegre, 15 de janeiro de 2015

Nenhum comentário: